post

Michael Eisner: Executivo da Disney mais bem pago do mundo, observando bicicletas…


Prezado Sonhador,

Veja porque Michael Eisner se tornou o executivo mais bem pago do mundo, durante sua gestão na Disney, prestando atenção na lojinha que vende bicicleta. Uma grande lição.

Agradeço sua visita e se não estiver ainda registrado aqui no meu blog, apenas coloque seu email aqui no lado esquerdo superior. Um dia repleto de sementes de sonhos para você e muito obrigado! Também, adoraria ter você curtindo minha página no Facebook. É só clicar em Facebook acima na linha principal. Lá você encontra meus principais videos e o portfólio da minha empresa.

Claudemir

CLIQUE SOBRE A IMAGEM ABAIXO. O video é um institucional curto que fiz sobre minha empresa. Abraços!

Michael Eisner e Hotelaria Disney

Durante meus quinze anos na Disney, aprendi a admirar um executivo que ajudou a transfromar uma era. Tive a oportunidade de ouvi-lo várias vezes em suas visitas a Orlando. Michael chegou em 1984 quando a empresa passava por momentos críticos, muito bem expostos num livro raro chamado Storming The Magic Kingdom (Tempestade no Magic Kingdom), de John Taylor. Além desse livro, recomendo a leitura de Work in Progress (Trabalho em Progresso), escrito pelo próprio Eisner, onde ele conta todo o processo de sua contratação.

Em resumo, ele não era o mais qualificado porque sua experiência era puramente de cinema (Paramount Pictures, responsável por sucessos como Indiana Jones) e televisão (ABC). A The Walt Disney Company buscava um executivo com experiências também em suas outras divisões, como parques temáticos e licenciamento de produtos, além de cinema, é claro. Numa jogada sensacional, Roy Disney Jr., filho de Roy e sobrinho de Walt, juntou-se a alguns acionistas (os principais eram Sid Bass e Stanley Gold) que controlavam mais de 50% das ações da empresa. Roy os convenceu que precisavam voltar a ter um tipo de liderança igual àquela feita por seu pai e tio durante décadas. Um gênio criativo (Walt) e um gênio financeiro (Roy). Pois bem, a mistura agora seria Michael Eisner (Chairman e CEO) e Frank Wells (presidente e COO), vindo da Warner Brothers. Quem comandava a Disney até então era Ron W. Miller, genro de Walt Disney, casado com sua filha Diane Miller. Michael também criou muitas confusões devido ao seu ego. Quando Frank faleceu em 1994 num acidente de helicóptero, sua estratégia foi não ter um segundo homem forte na empresa. Por isso, teve brigas homéricas com Jeffrey Katzenberg (agora na Dreamworks), Michael Ovits e, por incrível que possa parecer, com o próprio Roy Disney Jr que o trouxe em 1984. A briga tomou uma proporção tão grande que Roy criou na época o site www.savedisney.com  tentando convencer acionistas a derrubarem Michael que só deixou a empresa em 2005; seu antigo número dois, Bob Iger, assumiu a empresa já bem encaminhada.

Voltando à chegada de Michael à Disney, ele teve sua primeira ideia genial, um verdadeiro golpe de mestre. Atrelou seu salário a bonus baseado no seu desempenho. O resultado é que, em poucos anos, Michael se tornou o executivo mais bem pago do mundo. Devido a espaço, concentro esse curto artigo em suas estratégias para a hotelaria da divisão Parks & Resorts. Para que se tenha uma ideia da importância desta área, dos aproximados 135.000 colaboradores de todas as divisões da The Walt Disney Company, aproximadamente 100.000 estão nos parques e hotéis espalhados pelos continentes. Somente em Orlando, dependendo da sazonalidade, chega a 66.000. Walt Disney World Resort é considerada a maior empresa do mundo a concentrar, num mesmo local, tantos colaboradores.

 HOTÉIS “ALIMENTANDO” PARQUES TEMÁTICOS

Ao observar que os parques e hotéis estavam com problemas sérios de ocupação, Michael se reuniu com os principais executivos daquele segmento perguntando o que estava acontecendo. As respostas iam em todas as direções, mas Michael rapidamente percebeu que a empresa não se preocupava com a concorrência. Ele sabia que a situação era crítica, muito crítica.

A pergunta fatal de Michael para os executivos: o que a hotelaria local está fazendo? Pediu um estudo comparativo de tudo e rapidamente percebeu que a Disney possuia basicamente hotéis de luxo. A concorrência investia pesadamente nos econônimos. Michael sabia que, para o sucesso dos parques, precisava ter muitos quartos e criar estratégias para reter esses convidados (na Disney, palavra equivalente a clientes) dentro da propriedade. Começava a grande revolução hoteleira. Além de luxo, hotéis de outras categorias foram criados, como os moderados e econômicos, além de casas para famílias. Hoje são aproximadamente 30,000 quartos e há mais a caminho com o Disney’s Art of Animation Resort, em 2012. Como as estratégias sempre incluiam ingressos e vários benefícios de hospedagem dentro do complexo, o sucesso acabava sendo refletido tanto na hotelaria quanto nos parques. Essa seria a lição que deveria ter sido aprendida quando o parque temático foi aberto. Mas o toque final da magia está no serviço. De nada adianta existirem parques fenomenais, hotéis incríveis com colaboradores despreparados, usando máscaras de sorrisos falsos. Em outro artigo, escrevi  que qualquer hotel no mundo, teoricamente, pode ser copiado, desde que haja dinheiro. Pessoas não podem ser copiadas. Por isso, escolha sempre os melhores que, como ouro, também precisam ser lapidados (treinados).

Anúncios

Comments

  1. É, Claudemir, Michael Eisner, foi, literalmente, “o cara”… Sabe o que eu acho mais incrível, além, é claro, da visão fantástica que ele teve de negócios, capaz de levar a empresa do inferno ao paraíso??? Ele era uma pessoa, “teoricamente”, não tão indicada para assumir esse posto, sem o “conhecimento necessário” para resolver os graves problemas que a Disney enfrentava naquela épica, resumindo, um “desacreditado”, que foi capaz de fechar bocas e mostrou, com seu trabalho e visão incrível, sua capacidade de tirar a empresa do vermelho… E o mais interessante: sem nenhum tipo de “pixie dust”, só mesmo com visão, empreendedorismo e vontade de vencer!!! Bastante semelhante ao criador de todo aquele império, não é mesmo!?!
    AMEI o artigo!!!!!
    Parabéns, mais uma vez, por dividir com seus leitores experiências tão fantásticas e levar a todos nós à reflexões que, certamente, mudarão o rumo de muitas vidas e administrações de empresas mundo a fora!!!
    Um forte abraço para você!
    Tati

  2. Olá Claudemir!

    “Pessoas não podem ser copiadas.” Eu não me recordo o nome do livro, mas era sobre a maneira Disney de administrar. A importância das pessoas era prioridade número 1, o serviço era (é) o diferencial da empresa, e todos eram responsáveis pelo sucesso da organização. Alcançar tal nível de consciência e excelência é um fato raro e admirável!

    Abraço!

    • Alexandre,
      Existe um comprometimento, existe uma filosofia que os colaboradores acabam ” comprando ” por se identificar com a filosofia do homem Wlat Disney.. óbvio, numa empreas de 135 mil funcionários, você vai ter de tudo um pouco, mas eu diria que é a história do homem Walt Disney que faz os sonhos se realizarem até hoje…

      • Jessica Tamara says:

        Ola Claudemir!
        Estou fazendo meu artigo final da faculdade, e vou falar sobre “Estratégia de branding atrvés do entretenimento Walt Disney e seus cliente”. Obrigada por esse ensinamento da Psicologia Positiva, que também pode ser considerado como o Endomarketing. A Disney faz exatamente isso.
        Sucesso!

      • Obrigado Jessica e boa sorte no seu trabalho.
        Claudemir

  3. Ricardo amaral says:

    Grande Claudemir!
    Ótimo texto e também acredito que as pessoas não podem ser “copiadas”, pois têm essência própria e diferenciada. Porém acredito na “modelagem”, que busca principalmente conhecer e particar os comportamentos de outra pessoa, e que esta seja uma pessoa vencedora.
    Não é isto que os funcionários da Disney fazem? Modelar determinados comportamentos (muito bons por sinal)de maneira a obterem sucesso?
    Forte abraço!

  4. Dr. Benny Rodriguez says:

    Excellent Story! Wow! The power of creativity and thinking out of the box! Thanks for sharing!

  5. Cinthia Casemiro says:

    Mais uma vez parabéns Claudemir. Muito boa leitura principalmente para quem está no mundo dos negócios em meio a tanta concorrência. Realmente um sorriso falso derruba qualquer estrutura.

  6. Edel Pontes says:

    Show de bola mais uma vez, Clau. Parabens e continue associando os artigos a filosofia Disney. Voce eh simplesmente um grande conhecedor dessa filosofia e vale a pena dividir com a gente. Ah, sobre o video “Puzzle” – Psicologia Positiva = Business. Parabens, espetacular teaser pra seeds e pra voce. Parabens, mais uma vez. Muito sucesso.

    • Edel,
      Sempre um privilégio tê-lo aqui comigo. Obrigado pelo comentário do puzzle video… eu tenho coisas novas vindo… tenho tido muita procura para fazerem coaching comigo e tenho feito com alguns executivos via skype… muito bom… abraços
      Claudemir

  7. Solange Boeta says:

    Oi Claudemir,
    Acompanhei um pouco da trajetória do Eisner. Realmente foi um exemplo de garra e coragem, não se intimidando com o que pensavam a respeito dele. Fez um excelente trabalho e provou que mesmo errando, “If you can dream you can do”.
    O que seria de todos nós se não errássemos? Com certeza não teríamos a oportunidade de crescer e nos tornar pessoas melhores.
    Parabéns mais uma vez e um grande abraço.

    Solange.

  8. Claudemir , Grande Amigo ….Saudades!!!!!!

    Muito bom ler novamente estas stories……saudades !

    Me sinto previlegiado de ter tido a oportunidade de trabalhar com Lideres tais como: Eisner, Judson Green, Al, Lee, Crofton and many others ( not excluding you!).

    Adoro ler seus artigos !!
    Abs

    Ronaldo Camargo

    • Ronaldo,
      Você foi responsável por muito do meu sucesso na Disney. Lembro-me em 1997 quando você no Disney Institute resolveu bancar do orçamento da sua área todos os cursos do Instituto.
      Eu fiz minha parte, claro. Tirei férias para fazer aqueles cursos, paguei o o hotel, aereo, mas quero que saiba que os frutos já estão ai e você é parte da colheita. Nossos anos na Disney foram maravilhosos e agradeço a Deus por ter tido a oportunidade de encontrar executivos como você.
      Forte abraço e nos vemos em breve!
      Claudemir

  9. Clau,
    Adoro ler suas experiencias na Disney, imagino que poder ter contato com ele agrega muitissimo valor ao profissional e ao ser humano…
    Fato: a pessoa ou empresa que não vê concorrentes esta fadado ao fracasso, É saudavel ter concorrencia, é vital!
    Sempre apaixonada pelas teorias e pela Magia.
    Érica Abreu

  10. Márcia says:

    Excelente!
    Mais uma lição aprendida.

    abs.,

  11. Ei Claudemir, mais uma grande lição!
    Obrigada! Lilás Nascimento

  12. Monica Joseph says:

    Claudemir,
    Tive a oportunidade de ter treinamento Disney com vc quando eu era guia! Vc continua a ser a mesma pessoa casrismática e envolvente de anos atrás. Parabéns pelo seu Instituto e que você continue fazendo sucesso sempre !!

    Abs
    Monica Joseph

Deixe seus comentários (sementes de sonhos). Quero aprender com você!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: